Acolhimento
11 de Set de 2017
0 Comentários
Tarcisio Padilha

Muitas vezes não nos damos conta de que uma mera palavra pode mudar sentimentos e emoções. As palavras são ainda mais significativas quando se juntam para dar forma a pensamentos, ideias e projetos.

Na realidade, a palavra tem poder porque desencadeia um processo de confiança ou de descrédito. O sentido da palavra é dado pela vivência de quem a diz e alterado pelo contexto de quem a ouve. As relações entre as pessoas são conduzidas, em sua grande maioria, pelas palavras ditas ou silenciadas.

Na prática pedagógica constatamos o uso intensivo da palavra, para conduzir o processo educativo. A palavra clara, concisa, adequada não se acha com tanta facilidade, sobretudo e especialmente nos momentos mais necessários da experiência humana. Talvez apenas os poetas tenham chegado um pouco mais perto das palavras apropriadas para expressar conceitos e verdades de importância existencial.

Professores deveriam ser artesãos da palavra. Não somente no sentido do método e da técnica, mas no de manifestar sentimentos e emoções. A palavra cresce quando incorpora o sentido que emana da alma de quem a escolhe. Que profundidade têm palavras singulares em momentos marcantes.

“Nas interações existe um desencadear de transformações estruturais recíprocas”, diz H. Maturana. Sem o encontro entre o professor e o aluno torna-se duvidosa a relação que esperamos estabelecer entre ensino e aprendizagem. O encontro se fundamenta no fato mesmo da capacidade de acolhimento.

Tarcisio Padilha Junior

Deixe um comentário

Fale Conosco

Estamos à disposição para atendê-lo.

CAMPUS BOTAFOGO
2554-8036 | 2553-9681
Rua Fernando Ferrari, 75 - Botafogo - RJ
central.caa@usu.edu.br
Horário de Atendimento: 09:00 - 21:00
UNIDADE VILA DA PENHA
99818-4135
Av. Brás de Pina, 1744 - Vila da Penha - RJ
central.caa@usu.edu.br
Horário de Atendimento: 13:00 - 22:00