Setembro amarelo: alerta e prevenção
11 de Set de 2017
0 Comentários
Psicologia

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que o Brasil registra mais de 30 casos de suicídio por dia. Ainda segundo a organização, nove em cada 10 casos poderiam ser prevenidos. Apesar dos números, este mal silencioso ainda é tabu entre pessoas de todo o mundo. Como forma de conscientizar sobre o tema, o mês de setembro tornou-se o símbolo de prevenção do suicídio.

Para a professora de Psicologia da USU, Helena Jucá, “é importante falar sobre esse problema de saúde pública, uma vez que há muitos preconceitos em relação aos problemas emocionais e psicológicos”.

"Muitos acham que depressão, ideação suicida ou dificuldades emocionais seriam indícios de falta de vontade ou ingratidão à vida. Eles só acreditam nesse mito por conta da falta de conhecimento. Por isso desfazer os mitos e levar as pessoas a saber mais sobre o tema é extremamente importante para ajudar que mais pessoas, sabendo do problema, possam procurar ajuda profissional - psicológica e, às vezes, medicamentosa - a tempo de poderem se tratar", disse.

"A busca de tratamento o quanto antes, pode salvar vidas", completou.

Definição de comportamento suicida

Todo ato pelo qual um indivíduo causa lesão a si mesmo, qualquer que seja o grau de intenção letal e de conhecimento do verdadeiro motivo desse ato. Essa noção possibilita conceber o comportamento suicida ao longo de um continuum: a partir de pensamentos de autodestruição, passando por ameaças, gestos, tentativas de suicídio e, finalmente, suicídio”.

Fatores e situações de risco - OMS

Estatuto socioeconômico e nível de educação baixos; perda de emprego;

Stress social;

Problemas com o funcionamento da família, relações sociais, e sistemas de apoio;

Trauma, tal como abuso físico e sexual;

Perdas pessoais;

Perturbações mentais tais como depressão, perturbações da personalidade, esquizofrenia, e abuso de álcool e de substâncias;

Sentimentos de baixa autoestima ou de desesperança;

Questões de orientação sexual (tais como homossexualidade);

Comportamentos idiossincráticos (tais como estilo cognitivo e estrutura de personalidade);

Pouco discernimento, falta de controle da impulsividade, e comportamentos autodestrutivos;

Poucas competências para enfrentar problemas;

Doença física e dor crônica;

Exposição ao suicídio de outras pessoas;

Acesso a meios para conseguir fazer-se mal;

Acontecimentos destrutivos e violentos (tais como guerra ou desastres catastróficos).

"Tipos" de suicídio não usuais / não conhecidos:

Suicídios Inconscientes

Acidentes de trânsito, no lar ou no trabalho;

Parar de comer / beber;

Intoxicações “acidentais”;

Doenças somáticas;

Exposição desnecessária a perigos;

Uso de drogas.

Reações de Aniversário

Uma forma de Luto Patológico onde se encontra quadros semelhantes ou idênticos de doença ou até mesmo de TS de um ente querido em época próxima ao falecimento do mesmo ou quando se completa a idade que tinha o falecido.

Homicídio Precipitado pela Vítima

O sujeito instiga um outro para que o mate (lutas em gangues, com traficantes, se jogar em frente ao carro de pessoas próximas (crianças que se sentem um peso na família). Pode provocar culpa no homicida.

Deixe um comentário

Fale Conosco

Estamos à disposição para atendê-lo.

CAMPUS BOTAFOGO
2554-8036 | 2553-9681
Rua Fernando Ferrari, 75 - Botafogo - RJ
central.caa@usu.edu.br
Horário de Atendimento: 09:00 - 21:00
UNIDADE VILA DA PENHA
99818-4135
Av. Brás de Pina, 1744 - Vila da Penha - RJ
central.caa@usu.edu.br
Horário de Atendimento: 13:00 - 22:00